• Estação Romana da Quinta da Abicada

    Estação Romana da Quinta da Abicada

  • Monumentos Megalíticos de Alcalar - edifício tumular "Alcalar 7"

    Monumentos Megalíticos de Alcalar - edifício tumular "Alcalar 7"

  • Monumentos Megalíticos de Alcalar – interior do edifício tumular "Alcalar 7"

    Monumentos Megalíticos de Alcalar – interior do edifício tumular "Alcalar 7"

  • Monumentos Megalíticos de Alcalar – "Um dia na pré-história"

    Monumentos Megalíticos de Alcalar – "Um dia na pré-história"

  • Castelo de Aljezur – Torre semi-cilindrica

    Castelo de Aljezur – Torre semi-cilindrica

  • Castelo de Aljezur – Muralha e acesso

    Castelo de Aljezur – Muralha e acesso

  • Ermida de N.S. de Guadalupe e Casa rural

    Ermida de N.S. de Guadalupe e Casa rural

  • Panorâmica da exposição no interior da Casa rural

    Panorâmica da exposição no interior da Casa rural

  • Castelo de Loulé – "Música nos Monumentos"

    Castelo de Loulé – "Música nos Monumentos"

  • Torreões do Castelo de Loulé

    Torreões do Castelo de Loulé

  • Ruínas Romanas de Milreu – Casa rural

    Ruínas Romanas de Milreu – Casa rural

  • Ruínas Romanas de Milreu – Pormenor de mosaico

    Ruínas Romanas de Milreu – Pormenor de mosaico

  • Castelo de Paderne

    Castelo de Paderne

  • Castelo de Paderne – Ruína da Ermida de N.S. da Assunção

    Castelo de Paderne – Ruína da Ermida de N.S. da Assunção

  • Ruína da Ermida de N.S. da Assunção - "Música nos Monumentos"

    Ruína da Ermida de N.S. da Assunção - "Música nos Monumentos"

  • Fortaleza e Promontório de Sagres

    Fortaleza e Promontório de Sagres

  • Capela de N.S. da Graça – "Música nos Monumentos"

    Capela de N.S. da Graça – "Música nos Monumentos"

Monumentos do Algarve Bons Momentos Promontório de Sagres Prémio Regional Maria Veleda Património Cultural Imaterial Portal Cultura Portugal

Arquiteto Manuel Graça Dias.jpgNOTA DE PESAR

A Ministra da Cultura, Graça Fonseca, lamenta a morte do Arquiteto Manuel Graça Dias.

Com a morte de Manuel Graça Dias desaparece um pensador da cidade para as pessoas e da arquitetura enquanto disciplina estética.

Com Egas José Vieira abriu o atelier Contemporânea, constituindo uma das mais influentes assinaturas da arquitetura contemporânea em edifícios públicos que revelam uma preocupação sobre a passagem do tempo enquanto elemento constitutivo de uma relação atenta aos usos diferenciados e às transformações estéticas, sociais e urbanísticas das cidades. Devemos-lhe a assinatura de obras como a sede da Associação dos Arquitetos Portugueses (1991), em Lisboa, o Teatro Municipal de Almada (2005), a Escola de Música, Artes e Ofícios de Chaves (2004-2008) e, mais recentemente, a requalificação do Teatro Lu.Ca(2018), em Lisboa.

Ao longo dos anos, Manuel Graça Dias foi acompanhando a evolução das cidades através de projetos que propunham reorganizações do espaço público, adaptando, concebendo ou estruturando os seus projetos como pontos de diálogo com a possibilidade de a vivência destes ser, ao mesmo tempo, estética e funcional. A originalidades dos interiores e a alegria da cor foram, simultaneamente, uma marca do seu trabalho, numa atenção à conjugação dos detalhes, que pode ser vista e vivida, por exemplo, no restaurante italiano Casanostra, em Lisboa, ou no azul do Teatro, em Almada.

Com o Pavilhão de Portugal, na Exposição Universal de Sevilha, em 1992, o arquiteto é reconhecido como marcando definitivamente o pós-modernismo português.

Arquiteto mas também professor, teórico, curador e empenhado defensor de uma política para a arquitetura, Manuel Graça Dias era atualmente professor na Faculdade de Arquitetura do Porto e na Universidade Autónoma de Lisboa. Foi também um comunicador por excelência, tendo escrito com regularidade em jornais como O Independente e o Expresso, mas também em revistas como a Arquitectura Portuguesa ou o Jornal dos Arquitectos, do qual foi diretor.

Manuel Graça Dias recebeu, com Egas José Vieira, o Prémio AICA/Ministério da Cultura de Arquitetura, de 1999, pelo conjunto da sua obra construída.

À família e Amigos, enviam-se sentidas condolências.

Graça Fonseca

25 março, 2019

livro as necropoles romanas no algarve“Necrópoles Romanas do Algarve" de Carlos Samuel Pires Pereira

O livro “Necrópoles Romanas do Algarve. Acerca dos Espaços da Morte no Extremo Sul da Lusitânia”, de Carlos Samuel Pires Pereira, será apresentado ao público no dia 29 de Março, pelas 18h00 no Auditório da Direção Regional de Cultura do Algarve. No evento estará presente a Secretária de Estado da Cultura, Ângela Ferreira.

Esta obra está inserta na Revista “ O Arqueólogo Português”, suplemento nº 9, editado desde 1895, periódico do Museu Nacional de Arqueologia, de carácter científico com grande prestígio nacional e internacional.

“Necrópoles Romanas do Algarve” foi tese de doutoramento, apresentada na Faculdade de Letras de Lisboa, em 2014, e aborda os “ Espaços da Morte no Algarve”, em toda a sua extensão geográfica, desde o paganismo ao cristianismo nas evidências tumulares, a morte entre o rito e a prática, a Arqueologia da Morte “ enquanto ferramenta na reconstrução de rituais e da imagem funerária”.

O livro será apresentado por Ana Margarida Arruda, orientadora da tese, da Universidade de Lisboa e João Pedro Bernardes de Universidade do Algarve.

Boas Práticas de Gestão de Espólios

Fortaleza - Badeira a meia hasteDia de Luto Nacional pelas Vítimas de Violência Doméstica

 

 

Hoje, dia 7 de Março, o governo decretou Dia de Luto Nacional pelas Vítimas de Violência Doméstica, na véspera do Dia Internacional da Mulher, pretendendo alertar para este problema e prestar homenagem às vítimas e famílias, apelando à consciência coletiva para o combate a esta realidade inaceitável, em que todos devem cooperar na sua denúncia, não se remetendo ao silêncio.

É obrigação da sociedade proteger os mais frágeis combatendo qualquer manifestação de violência.

A Direção Regional de Cultura do Algarve solidariza-se com todas as vítimas de violência doméstica e suas famílias, encontrando-se os seus serviços com a Bandeira Nacional a meia haste.

grande_premio_de_teatro_portugues_2019GRANDE PRÉMIO DE TEATRO PORTUGUÊS 2019

Interessado na divulgação da dramaturgia portuguesa contemporânea, o Teatro Aberto instituiu com a Sociedade Portuguesa de Autores o “Grande Prémio de Teatro Português”, destinado a galardoar, em cada ano civil, uma peça inédita de um autor português.

Este prémio – um dos mais importantes atribuído em Portugal e na Europa – proporciona ao autor da obra vencedora, para além de um valor pecuniário, a possibilidade de ver a sua peça editada em livro e estreada numa produção do Teatro Aberto."

 As candidaturas podem ser apresentadas até 28 de Fevereiro de 2019.

Consulta o regulamento aqui

Oficinas 24 de Fevereiro - Bienal VicentinaOficinas de Conhecimento “Conhecer o Património Edificado do Algarve”

Dr. Rui Pareira, director da Direção dos Serviços e Bens Culturais, da Direção Regional de Cultura do Algarve, irá orientar a Oficinas de Conhecimento “Conhecer o Património Edificado do Algarve”, a realizar-se no dia 24 de Fevereiro, entre as 10h e as 11.30h.

Estas Oficinas propõem-se reunir uma "forte ação de promoção de conhecimento em Turismo de Natureza, capaz de contribuir para o desenvolvimento de um turismo mais sustentável, assente no conhecimento do território ao nível das atividades de natureza, recursos endógenos, identidade e modelos atuais de gestão de empresas turísticas."

As Oficinas de Conhecimento fazem parte do programa da "Bienal de Turismo de Natureza (BTN) que visa promover o desenvolvimento do turismo de natureza no Algarve, contribuindo para o desenvolvimento social, económico e ambiental das comunidades." 

fio-da-memoria9DiVaM cultiva o “processo patrimonial”

[...] "O DiVaM constitui um programa promotor do valor do património, não apenas como testemunho do passado, da memória e da identidade, mas determinante para que as pessoas que vivem esse património o possam ver com um “novo olhar”, fomentando a qualidade de vida das comunidades e a integração de novas perspetivas e narrativas." ...]

Artigo da Direcção Regional de Cultura do Algarve publicado no Caderno de Artes Cultura.Sul de Fevereiro.

 

Cartaz- Arqueologia em Portugal_Estoi - FaroArqueologia em Portugal: recuperar o passado - em 2017

Evento de divulgação científica

No dia 7 de fevereiro de 2019, pelas 17h, será inaugurada nas Ruínas Romanas de Milreu, Estoi a exposição itinerante “Arqueologia em Portugal: Recuperar o Passado – em 2017”, onde permanecerá patente ao público até 3 de Março próximo.

A exposição é promovida pela Direção-Geral do Património Cultural em parceria com as Direções Regionais de Cultura do Norte, Centro, Alentejo e Algarve, contando também com a participação da Direção Regional da Cultura dos Açores.

Esta exposição tem como objetivo promover o conhecimento gerado pela arqueologia e sensibilizar o público para esta atividade, através da apresentação de algumas das mais importantes intervenções e descobertas arqueológicas realizadas em 2017, em todo o território nacional. Anualmente são realizadas mais de 1500 intervenções arqueológicas e identificados importantes sítios arqueológicos, mas frequentemente esta informação passa, na grande maioria, despercebida do público em geral.

Dois dos trabalhos arqueológicos que merecem regionalmente destaque são a prospeção geofísica e as sondagens arqueológicas efetuadas na cidade romana de Balsa, em Luz de Tavira, concelho de Tavira e a escavação de uma fábrica de preparados de peixe romana situada na cidade de Faro.

A inauguração da iniciativa “Arqueologia em Portugal: Recuperar o Passado” será precedida pela apresentação do projeto por Maria Catarina Coelho, Diretora do Departamento dos Bens Culturais da Direção-Geral do Património Cultural, seguindo-se a duas pequenas conferências dos arqueólogos responsáveis das intervenções efetuadas em Tavira e Faro.

O encerramento será efetuado por Adriana Nogueira, Diretora Regional de Cultura do Algarve.

Depois Lisboa e Faro, esta exposição continuará durante o corrente ano a percorrer o país.

A entrada é livre.

Dialogo 5 + 5.jpgSeminário francófono "Criar e cooperar no Mediterrâneo"

Programa "Rota da Cultura" - Convite à apresentação de candidaturas 2019, até 15 de fevereiro.

Este programa é proposto pelo Ministério da Cultura Francês (Secretariado Geral, Ramo de Assuntos Europeus e Internacionais) no âmbito do Diálogo 5 + 5 Cultura, que reúne 10 países do Mediterrâneo ocidental: Itália, França, a Espanha, Portugal e Malta para o norte de África: Marrocos, Argélia, Tunísia, Mauritânia, Líbia.

A língua de trabalho será o francês.

Este seminário ajudará a compreender, através de mesas-redondas, visitas e workshops, as questões relacionadas com intercâmbios culturais na área mediterrânica das duas margens e tecer uma rede de ferramentas e conhecimentos partilhados.

Para mais informações aqui

Café com Letras "História da Medicina"

Café com Letras – “História Medicina “

Dando continuidade às edições anteriores, com grande adesão por parte do público, voltam as conversas informais, subordinadas a temas específicos, no “Café com Letras”, uma parceria com a Biblioteca da Universidade do Algarve e a FNAC do Fórum Algarve.

Com sessões mensais, a primeira a realizar-se no próximo dia 1 de fevereiro, abordará o tema “História da Medicina” com a participação de Daniel Cartucho (médico) – UAlg/CHUA e Patrícia de Jesus Palma (investigadora) – CHAM/UNL.

Este ano, comemoram-se os 40 anos da presença da Universidade e do Hospital em Faro, como os 40 anos do Serviço Nacional de Saúde e os 10 anos do Mestrado Integrado em Medicina.

Sabendo-se da importância, para o desenvolvimento de uma sociedade e região, da implementação deste tipo de instituições, convida-se a virem dialogar com os interlocutores que, no seu dia a dia, vivem profissionalmente com estas realidades.

AS DEZ RESPOSTAS DE ADRIANA NOGUEIRA

(Artigo publicado no Caderno Cultura.Sul de Janeiro 2019)

10 perguntas a Adriana Nogueira.jpg

 

VI Jornadas de História do Baixo Guadiana

Museu Maritimo130 anos do Museu Marítimo Almirante Ramalho Ortigão

A Diretora Regional de Cultura do Algarve esteve presente ontem, dia 4 de janeiro, na celebração dos 130 anos do Museu Marítimo Almirante Ramalho Ortigão, em Faro.
O jornalista Daniel Pina, do Algarve Informativo, escreveu:
«De sorriso radiante no rosto estava Adriana Nogueira, Diretora Regional da Cultura do Algarve, uma conhecida apaixonada por museus, as «casas das musas», “espaços fundamentais para a preservação da memória e para que as comunidades se revejam nelas próprias”. “A abertura de um museu ao público é um passo que se dá a favor da integração e contra a xenofobia, porque percebemos que todos somos semelhantes, que todos fazemos parte da comunidade humana. Faro é uma cidade que se preocupa em dar valor à nossa memória, por vezes contra ventos e marés, porque nos tempos modernos se procura frequentemente o que é novo. Só que nada se constrói do zero e a cultura é preservar o antigo, sempre a olhar para o futuro”, defendeu Adriana Nogueira.»

( Notícia completa aqui )

Monumentos afetos à Direção Regional de Cultura do Algarve encerrados ao público nos dias 24,25 e 31 de dezembro de 2018 e no dia 1 de janeiro de 2019

Fortaleza de Sagres

A Direção Regional de Cultura do Algarve informa que nos dias 24,25 e 31 de dezembro de 2018 e no dia 1 de janeiro de 2019 estarão encerrados os monumentos afetos a esta Direção – Fortaleza de Sagres, Ermida de Nossa Senhora de Guadalupe e Ruínas Romanas de Milreu – de acordo com o Despacho n.º 11976/2018, publicado em DR, II Série, nº. 240, de 13 de dezembro.

Além dos dias mencionados, a Loja da Fortaleza de Sagres estará igualmente encerrada no dia 26 de dezembro de 2018.

A Direção Regional de Cultura do Algarve deseja a todos umas Boas Festas e um Feliz Ano Novo

Postal 2018

< previous123456789